Raphael de Souza

Ainda tenho medo de errar, na verdade… mas por muito tempo eu deixei de mostrar minhas ideias e projetos por pensar que eles não estavam “perfeitos“, e isso fez com que eu deixasse de apresentar muita coisa legal ao mundo.

Depois que entendi que o medo de errar faz parte de todos os processos, consegui dar passos maiores na minha vida. Como a mudança de carreira aos 30 anos!

Mas lembro como era horrível ter sempre aquele sentimento de que ainda não era bom o suficiente. Sabe, aquela sensação que nos aflige e nos deixam ansiosos e que nos impede de divulgar um projeto? É a síndrome do impostor vencendo a nossa vontade de mostrar ao mundo nossas criações. É ela fazendo-nos achar nosso trabalho ruim, tirando a oportunidade das pessoas de conhecerem um pouco mais sobre nós.

Por exemplo, sabemos que um blog é feito para ser lido por outras pessoas e sabemos que ninguém vai ler sequer um post se ele não estiver online, mas mesmo assim, muitas vezes, ficamos esperando ter o “blog com o layout perfeito” ou os “textos perfeitos” para daí sim colocar no ar. Da mesma forma que um canal no Youtube não vai possuir inscritos e ter views se você não subiu nenhum vídeo, pois não conseguiu dominar todas as técnicas de edição – sendo que você nem precisa dominar nada, pois o conteúdo é o que importa!

Não tenha medo de errar

Nós devemos aprender a errar. Sim, isso mesmo! Aprender que o erro faz parte do processo de evolução e de aprendizagem. Nós passamos a vida inteira ouvindo aquela nostálgica frase “é errando que se aprende” e concordamos com ela, mas na hora de divulgar um projeto, temos medo de errar e receber críticas que apontam onde devemos melhorar.

Além disso, estamos a todo momento comparando nossos bastidores ao palco de alguém, sem ao menos parar pra pensar em tudo o que esse “alguém” passou pra conseguir estrelar no palco onde está hoje.

Dê o primeiro passo

Não importa se você está fazendo o seu blog no Wix ou se você está editando seus vídeos no celular… Exponha seu trabalho e permita que as pessoas acompanhem sua evolução. Mais importante, se dê a oportunidade de sentir a gratificação que é ter seu conteúdo sendo visualizado por outras pessoas. Algumas não vão gostar, e tudo bem! Outras pessoas vão se identificar com o seu momento e podem se sentir inspiradas a fazer o mesmo.

O primeiro passo é sempre o mais difícil. A dificuldade de mover uma pedra parada sempre será maior que mover uma que já está em movimento. A primeira ação sempre é a que gera mais insegurança e mais ansiedade, mas é a que será mais gratificante.

Dividir para conquistar

“Divide et Vinces”, já diria Júlio César.

Uma guerra não é vencida de uma só vez. O sucesso na guerra vem através de pequenas batalhas, vencidas e perdidas ao longo do tempo, culminando na vitória.

Depois de mostrar ao mundo pela primeira vez seu projeto, vá fazendo pequenas melhorias. Não tente fazer algo muito grande, pois uma atividade assim pode se mostrar muito complexa e frustrante, fazendo com que você pegue “ranço” do seu projeto.

Divida em pequenos problemas para serem resolvidos ao longo do tempo. Resolver problemas nos traz satisfação, traz uma sensação de dever cumprido. Mesmo que você não resolva todos os pequenos problemas, é certo que no fim o saldo é positivo, mesmo que seja somente pela satisfação de ver a evolução acontecendo

Conclusão

Pra finalizar, não estou querendo dizer que você tem que fazer seus projetos de qualquer maneira e que assim tudo vai se resolver. Assim, o que eu estou dizendo é o seguinte: faça o MELHOR que você puder dentro das suas condições. Dê o melhor de si para tirar sua ideia do papel da maneira mais fácil e mais rápida sem se importar se ainda não achou a maneira “PERFEITA”.

Você terá tempo pra aprimorar!


Comente!
Compartilhe em suas redes sociais!